quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Eloá, mídia e polícia.

Mais uma vez, fiquei indignado com a mídia brasileira. Definitivamente, é impossível entender qual é o papel dela e seus interesses.
Quando surgiu a história do seqüestro, eram interesses diversos de todas as partes.
A mídia, como sempre, contrariando. Perguntam em todos os programas de televisão: "Por que a polícia não atirou no seqüestrador?".
Eu tenho algumas respostas...
Nenhum policial quer ficar atrás das grades, por conta da incerteza enorme que existe aqui em relação a quem deve ser julgado e condenado.
Ainda que não fosse preso, profissional nenhum quer arriscar ser afastado da função tendo (provavelmente) uma família para sustentar.
A justificativa do comandante da operação considerava o fato de o criminoso ser jovem, sem antecedentes criminais e estar "apenas" perturbado emocionalmente.
Aí a imprensa caiu em cima, dizendo que isso não era justificativa, e vendo milhões de maneiras de os policiais atirarem no rapaz.
Agora, imaginemos que a polícia tivesse o matado, e a garota estivesse bem.
O que a mídia diria?
Não há dúvida alguma que o "Fantástico" gritaria aos ventos:
"Polícia abusa do poder e mata jovem de apenas 22 anos, sem antecedentes criminais, abalado por uma desilusão amorosa!".
Vai entender. É por isso que a mídia brasileira tanto me irrita. Parece que o papel do jornalismo que impera aqui é simplesmente "colocar lenha na fogueira", jogar o público contra tudo e todos!
Assim como ocorreu, querem destruir a polícia por não atirarem. Se atirassem, esse seria o problema.
Enfim, acho mesmo que isso foi uma lição. É óbvio que ninguém ia comprometer a própria carreira matando um rapaz que depois provavelmente acabaria sendo defendido por puro esporte.
Isso tudo sem contar que o policial poderia estar no lugar do criminoso, ou no olho da rua.
Que a justiça aprenda, com isso, a julgar como se deve e (nisso se inclui a mídia) defender quem merece.
Só podia dar nisso, em um país onde a mídia brinca de manipular quem bem entende.

5 comentários:

Simone disse...

Olá, Diego!!!
Concordo plenamente ctg...

Bjos

Mörgånus De Sanctis disse...

Também concordo contigo!
A mídia(não só do Brasil) é uma coisa totalmente inútil, em minha opinião.
Mas se quer saber, eu acharia certo se eles tivessem atirado.
Como disse um cara entrevistado(instrutor de não sei o que lá) que "se fosse nos E.U.A, eles teriam usado um Atirador de Elite".

E minha opinião também é essa. Se a polícia começar a matar, num instante acaba com essa! Ha!

Sem mais, me despeço.

Abraços!

Viviane Righi disse...

Acho complicado opiniar sobre o que teria sido melhor numa situação tão crítica como essa que aconteceu com a jovem Eloá, mas achei seu texto muito sensato e concordo com a sua opinião. A mídia faz com que os fatos tomem uma proporção capaz de prejudicar pessoas, e que se dane o resto do mundo, desde que vire notícia. Lamentável...

A'ZaF disse...

Cara, toda história tem duas versões distintas. Pelo que li a Nayara falou que os tiros só foram disparados por Lindemberg após a invasão da polícia, mas eu sou suspeito para falar pois não concordo muito com nossos "policias" brasileiros...

Hebert Vilaça disse...

OPINIÃO PESSOAL
Arrogância Paulista
Vamos ser realistas neste estudo de caso...Só para o conheciemnto de todos a PMSP juntamente com a PMPR boicotaram a força Nacional ...justamente por se acharem as "melhores" Queriam ser sedes de treinamento...Na ação (Eloa)ficou mais uma vez claro que SP se acha... mas não é...não concordo com a opinião do colega que não gosta de Polícia...A PMSP foi fraca sim... e sou Filho de Minas(PMMG) e posso falar...Já a muito tempo vem sendo engolida Pela Civil de lá...Onde já se viu deixar uma refén retornar aos palcos da operação. Coisa de amadores...Vê se o GATE/MG iria fazer uma coia desta..
Então galera estão colhendo aquilo que semearam "Arrogância/prepotência" .Quanto a imprensa todos sabemos q/ é imunda e vão culpar os milicianos que alí estiveram e claro não foram culpados...( e sim seu CMT)Existe todo um contexto a ser analisado, mas não posso discordar que a ação da PMSP foi fraca assim como o Governador é.No epsódio da greve da PC, onde só um grupamento de choque segurou sozinho...Colocaram os convencionais para apanhar ao vivo e acores para todo o Brasil...Colheram o que semearam (Ensinaram técnicas Policiais militares para Civil que encheu os milicos de bombas/tiros /abordagens /tapas pedala robinho e humilhações ao vivo para todo o país ver...)
Mas isto faz parte, vivendo e aprendendo o BOPE DO RIO não precisou apanhar p/ aprender, meteram o pau e hoje é referencia. A qui em Minas, Coronel, aliás de Capitão p/ cima( na hierarquia) não vai p/ rua, por isso que não acontece tanta merda assim. Mas temos que tomar cuidado com a(imprensa)com os repórteres...(SBT/GLOBO/BAND/RECORD)as tralhas DA IMPRENSA que existem por aí...Sem conhecimento técnico...Acusam, julgam e condenam, sem pressunção da inocência.Manipulam a opinião pública contra Polícia (justamente os bons moços (punidos) na ditadura é que estão no poder).E esta geração de Poiciais/militares estão pagando por resquíscios cometidos por gerações passadas.
O bandido na história é o Lindemberg ele é o verme e não a Polícia.
Obs: No início eram três reféns e duas estão VIVAS...
A DECISÃO DE INVADIR É DISCRICIONÁRIA DA AUTORIDADE ALI PRESENTE, NO CASO GATE/SP, HAVIA UM FLAGRANTE CONTÍNUO, ENTÃO A AÇÃO FOI INTEIRAMENTE LEGAL.
Não cabe a nós julgarmos a Polícia e sim o verme do Lindenberg, que passará pelo Tribunal do Júri e será condenado pelo povo,representado por sete jurados escolhidos no meio da sociedade local.Abraços fraternos e digam não ao jornalismo barato/sensacionalista e medíocre deste país.