domingo, 19 de outubro de 2008

O que houve, Música Brasileira?


Há pouco, passei por uma comunidade, no orkut, em homenagem à MPB. Como tenho costume, comecei a visitar alguns tópicos do fórum.
Não poderia ser diferente. Percebi que estou longe de estar sozinho quando vi a pergunta: "O que aconteceu com a música?".
De fato, é complicado explicar. Vamos, primeiro, nos limitar à música brasileira.
Quem, cerca de 20 anos atrás, imaginou que "artistas" como o Latino ou a Joelma (para não citar aberrações do tipo Tati quebra-Barraco) seriam considerados ícones da música brasileira?
Sem pensar, outra: é uma questão de gosto ou virtude?
É complicado saber o que veio antes: a música ruim ou o mau-gosto dos brasileiros.
Simplesmente deixamos de lado a música como arte, considerando apenas a distração ou mesmo as risadas que elas provocam em alguns indivíduos. Hoje está virando motivo de orgulho para certas mães ver seus "ricos" filhinhos, ainda aprendendo as primeiras palavras, cantando o último sucesso do funk nacional e rebolando feito uma enguia com coceira. Bonito mesmo é o "Vai lá fi-inha, rebeeeenta!".
Vergonha.
Da mesma forma que a mulher brasileira já foi vulgarizada frente a outros países (assunto que penso em abordar futuramente), a música tomou o mesmo rumo. Agora é lei: estrangeiro só quer "Wronaldinhow, sámba e mwulata". É o Brasil, gente!
Voltando...
Não, não queria mesmo ter nascido em épocas anteriores, mas é até decepcionante ter que me contentar com materiais antigos do tempo em que a música brasileira ainda existia na voz da Elis, e a dupla Vinícius de Moraes e Tom faziam ainda o que entendemos por arte.
O que mudou na cabeça das pessoas nesse meio-tempo? A culpa é dos músicos? Da falta de valores das pessoas? Da internet? Da franjinha colada na testa e dos All Stars quadriculados?
Complicado dizer. Na verdade, é complicado escolher apenas uma causa.
O fato é que a verdadeira essência da música brasileira está morta, enterrada e praticamente esquecida.
Ressucitá-la? Só recomeçando do zero. Outras pessoas, outros músicos, outro mundo, quem sabe.
Definitivamente, a garota de ipanema criou rugas, os seios estão arrastando no chão e as celulites já lhe deram uma bela forma de maracujá de gaveta.
Sinceramente, não tenho esperanças de ouvir arte nova daqui pra frente. Quando as poucas vozes verdadeiramente cheias de talento que ainda restam silenciarem, esqueçam. A suprema arte estará infinita e definitivamente longe dos nossos ouvidos.

5 comentários:

Man disse...

Cara, esse assunto é complicado mesmo!
Pelo que se percebe vc gosta de Mpb, e eu respeito isso, até pretendo algum dia conhecer um pouco mais.
Realmente a cena da musica no Brasil é decadente, a uns 30 anos atrás tinhamos musica de qualidade de todos os generos, tudo bem que temos nomes como Tom Jobin, que são insuperáveis, mas é triste ver que a boa musica não influência artista de hj, hj tudo é comercial, não fazem mais musica por arte, e pior de tudo é que a sociedade Brasileira aceita isso tranquilamente, nossa cultura musical apodreceu. Mas existem alguns poucos musicos que se salvam ainda no Brasil, uma dica, já ouviu Teatro Magico, eu acredito que sim, se não ouviu, corra atrás, vale a pena.
Não adianta tentarmos mostrar para outras pessoas oq está errado, e o que é certo, até por que não somos donos da verdade, mas eu me considero ouvidor de boa musica, e acredito que vc também, e isso nos faz diferentes. Temos uma visão ampliada da arte.

Um abraço e espero a sua visita
http://brutalrock.blogspot.com/

Man disse...

Tu aceita parceria de links?

Carioca disse...

a verdadeira musica nunca morre! o q acontece eh a quem esta no mainstream sao esses lixos...mas hj
vc ainda pode ouvir diogo nogueira, luis melodia etc.

viva a verdadeira musica brasileira!

A. R. T. disse...

E aí Diego, tranquilo?

Achei teu blog nos relacionados de algum outro que eu não lembro, muito legal ele.

Cara, mas é o seguinte...

Achei legal essa postagem, é brabo ver as pessoas sendo incentivadas a ouvir música comercial desde pequenas. Porém, eu não acho que a música brasileira morreu, pelo contrário, creio que está mais viva que a música popular de qualquer outro lugar do planeta, o que acontece que os bons compositores contemporâneos são bastante desconhecidos, não aparecem na TV pois perdem espaço para as músicas-lixo que a sociedade assimila. O brasil tem inúmeros compositores como o gaúcho Vitor Ramil, que estão no clímax da produção artística, lançando álbuns cada vez mais inspirados... Mas Completamente distante da TV, onde a música popular Brasileira tem cada vez menos espaço e quando aparece alguma coisa relacionada, é sempre sobre os velhos da MPB de sempre, nunca tem espaço pra gente nova.
E o pior é que cada vez mais tem se feito música brasileira de qualidade, há inúmeros compositores inspirados que não estão na boca do povo porque simplesmente eles nunca ouviram falar.

Mas finalmente, e felizmente, a mídia Brasileira está mudando de eixo, da TV(algo que não deveria ter existido nunca) para a internet,

as coisas mudaram.

Tempestade Interior disse...

Bah, perfeito texto e perfeitos comentários, cada um com seu ponto de vista!

Agora, tem outra coisa. Existem artistas como Ana Carolina que começaram bem, com músicas decentes, falando ora de amor, ora de temas políticos. Foi só fazer sucesso e se fixar na boca do povo que quis mostrar sua cara, com músicas vulgares comparáveis aos funk's atuais.

Outra questão, como já foi dito aqui, é a falta de espaço q os novos cantorem têm. O programa Raul Gil é um bom exemplo disso.
Passaram por lá GRANDIOSOS cantores, com lindas vozes, excelentes repertórios e interpretações. Representantes de mpb não faltaram, chegaram a ser considerados grandes promessas para o futuro, mas "morreram na praia". É só sair do programa e pronto, nunca mais se ouve falar neles. Recentemente uma delas foi no Faustão, no quadro "A voz da profissão" e ganhou, gravou seu cd. Nunca mais ouvi falar nela.

A mídia indentiva muito o que consideram mais lucrativo pra eles.
E não é só com a música.
Com os esportes é o mesmo. Só aparece futebol na tv, parece que não existe vida fora de um campo.

É impressionante o poder de influência que, principalmente a Globo tem.

O povo brasileiro é mal acostumado.
E, se tu quiser um pouco mais de cultura, existe em quase todo o BR, mas o eixo é Rio-SP.
Outra herança de uma má educação, um mau hábito, e as pessoas acabam se acostumando com isso