domingo, 5 de outubro de 2008

Curral dos Poetas: Imprensa de Brinquedo.


Há pouco, fazia meu tour pelos blogs santiaguenses à procura de informações a respeito das eleições na cidade. Resolvi procurar algo no blog do João Lemes, do jornal Expresso Ilustrado.
Foi então que voltei a refletir a respeito da imprensa santiaguense.
Através do post que fala a respeito dos candidatos a vereador e uma charge apresentados na página, notei a clara intenção "escondida" por ali. Ok, nada mais normal do que apresentar a própria opinião em uma página pessoal.
Ainda assim, esse tipo de manifestação por parte de um representante de um jornal de certa expressão na região me fez lembrar como se faz notícia em Santiago. Sim, eu disse FAZ!
Santiago continua com seu neo-coronelismo latente, mesmo que o resto do mundo tenha evoluído. Quem grita (ou paga) mais, leva todo mundo na conversa e faz todos acreditarem em qualquer coisa.
Jornalismo é algo que ainda não vi nascer nessa cidade, afinal o jornal mais expressivo de lá simplesmente ainda não aprendeu a dar notícia. É realmente de indignar que ainda muita gente se preste a absorver qualquer coisa que aquelas páginas apresentem.
Se perguntando o porquê da minha afirmação? Pode ser mais óbvio que as próprias palavras escritas no jornal Expresso Ilustrado?
A palavra "imparcial" com certeza não passa pela cabeça do(s) administrador(es) desse jornal, que consegue noticiar "puxando para o seu assado", defendendo interesses pessoais e deixando de lado, muitas vezes, o compromisso com a verdade. Os santiaguenses ainda se deixam levar como um rebanho, sabendo só o que é de interesse de quem deveria simplesmente informar. Afinal, o que tem na cabeça quem, através do seu jornal, compra briga com a própria Brigada Militar?
As manchetes que acompanhei nessa época beiravam o ridículo, e as provocações e acusações sem fundamento não passavam de pura "birra", já que atacavam a instituição através de alfinetadas a respeito até mesmo da vida do comandante. É a velha tática infantil de tentar derrubar ridicularizando. Sobre as charges, não preciso comentar. Opa! Jornal RIDICULARIZANDO? Só em Santiago mesmo...
Esse é só um exemplo do que eu vejo seguidamente no meio dessas "notícias" todas que o Expresso nos apresenta toda semana.
Todo mundo tem mania de falar sobre a Globo, que manda e desmanda por aqui. Aos que não conhecem Santiago, eu apresentaria a imprensa local. Certamente a Globo ficaria no chinelo no assunto "manipulação".
Ainda há coisas que salvam o jornalzinho ali, como algumas colunas soltas lá no meio. Se não fossem as palavras do também blogueiro Froilam (entre um ou dois outros colunistas), jamais passaria os olhos pelo Expresso em todos esses anos.
Sempre fui a favor da liberdade de expressão, mas quando um jornal expressivo usa (e manipula) notícias para defender interesses do próprio dono, chego a defender que a imprensa do tipo seja calada. Afinal, depois que a internet chegou no Boqueirão, quem precisa ser levado por um jornalzinho local?
É uma pena que o jornalismo sério esteja ainda tão longe de Santiago. Se tem alguma coisa que merece estar no "mal na foto", é o jeito santiaguense de manipular a população através da mídia claramente direcionada e manipulada por poucos de "costas quentes".
Basta alguém que realmente saiba o que é jornalismo chegar em Santiago para que o João Lemes Ilustrado vire nada mais que cinzas nas lareiras de Santiago.

Aos que se mordem de raiva e se imaginam me mandando fazer melhor... Paguem pra ver! ;)

5 comentários:

Rúbida Rosa disse...

EU COMENTAVA EXATAMENTE ISSO COM O FROILAM NO DIA DAS ELEIÇÕES! INCLUSIVE USANDO DAS MESMAS PALAVRAS...CORONELISMO É COM CERTEZA O EPÍTETO QUE MELHOR DEFINE O QUE OCORRE AQUI.QUANTO AO JORNAL, TODOS JÁ SABEMOS QUE O QUE IMPORTA É VENDER, NÃO INTERESSANDO QUANTO SENSACIONALISMO OU MANIPULAÇÃO PRECISEM FAZER.
UM ABRAÇO.

Alessandro Reiffer disse...

Obrigado pelo comentário e parabéns por este teu texto,eu sempre afirmei isso por aqui, concordo plenamente. Santiago é uma cidade de coronéis, e se acha culta, mas ainda vive na ignorância de uma cidadezinha que, no fundo, não cresce: as mentes e as almas continuam sendo pequenas. Quem também deveria estar no "mal na foto" é o próprio João Lemes, que lançou um livro de autopromoção, rídiculo, diga-se de passagem. Abraços!

Nivia Andres disse...

Prezado Diego,
Não sei se você é de Santiago, ou convive com pessoas que moram aqui. O EI é muito mais do que imprensa de brinquedo, é um artefato pré-fabricado para destruir tudo o que não serve ao poder instituído há muitos anos nessa província antediluviana. Isso você sabe. Parece desconhecer que há jornalismo sério por aqui. Só que não sobrevive porque o poder econômico prefere a manipulação proposta pelo JL. Por enquanto. Haverá reação. Forte. Definitiva.
Um abraço,
Nivia Andres

GCC disse...

A Rúbida Rosa essa que tá aí criticando o coronelismo e o jornal não é mesma aquela que agora ganhou um contratinho lá na secretaria de educação?
Estranho, criticou o coronelismo e o sensacionalismo do expresso? o quê? Criticou tambem a "MANIPULAÇÃO". Não pode, estou sonhando. Essa é uma Terra de Otários, onde uma farsante dessas decola de um extremo crítico ao outro e todos aceitam tudo, acriticamente.
É por isso surgiu o GCC, Grupo Consciência Crítica, em Santiago. Nosso site deverá estar pronto segunda-feira, dia 06 de abril. Aguardem. Ninguém viu nada ainda parecido.

Sérgio Marion disse...

Diego Neves nem conheço voce, mas fala com conhecimento de Santiago, como já dizia o saudoso Mário Quintana "...na minha cidade (Alegrete/RS) quem não é fazendeiro é boi ..." e em Santiago não e diferente, só em Santiago Candidatos a vereadores gastaram em campanha mais de 180 mil reais e dão entrevistas nas rádios “O povo entendeu minhas propostas... “ outros gastam 80 mil e dizem “ fiz só na amizade ...”, marcação de consultas medicas, só nas segundas-feiras e bem cedo (caso você fique doente na terça, terá que esperar a outra segunda), em todos os hospitais tem placas com os dizeres proibido buzinar, mas em Santiago na inauguração das reformas do hospital largam bombinhas, foguetes, rochões...verdadeiros espetáculos explosivos, vá entender? Apesar de tudo sou otimista ainda acredito na minha cidade.